domingo, 21 de setembro de 2014

Reflexões sobre o dinheiro, Parte 1



Estas reflexões são para você que acredita que ter dinheiro é algo muito importante. Eu, realmente, não ligo para dinheiro e nem ele liga para mim. Mas, na verdade, nos damos muito bem. Afinal, ele sabe que o pouco que consigo ganhar será bem valorizado. Senão sumirá rapidamente.

Em fim, convido-o a fazer comigo algumas reflexões a cerca do dinheiro em nossas vidas. Sendo estas, comparações com "temperos", com "a água" e com "ferramentas de trabalho", entre outras coisas. Nestas comparações tento demonstrar como percebo o dinheiro e seu uso sem que eu me torne seu escravo. Antes preciso informar que as imagens postadas aqui são dos meus filhos, meus bebês, por isso a qualidade única. Então, vamos lá.


Dinheiro para mim é como sal dentro de um saleiro; ou como qualquer tempero que se coloca nos alimentos. O que tento dizer é que após usado não o teremos mais; o usamos para atingir um objetivo, que é "temperar algo". E para nós o termos no saleiro foi praticado algum trabalho, afinal, o sal não vai parar no saleiro sozinho. Dinheiro para mim é como uma ferramenta; um martelo, um alicate, um serrote, uma caneta, etc. Ele serve para cumprir um objetivo. Mas, ele por si só não é o objetivo.

Agora, imagine você querer adoçar o seu café. Pois, não toma café amargo ou sem açúcar. Ou seja, tomar café adoçado é o objetivo e para isto, ter açúcar para colocar no café é necessário, mas não é o objetivo. O mesmo exemplo poderia ser com o sal. Suponha que queira temperar, com sal, um bife de carne vermelha para o almoço. Perceba que comer carne de boi no almoço é o objetivo, mas para quem não come carne sem sal. Logo, precisa de sal para colocar na carne.

Aqui cabe um parênteses, lembro que sal foi por muito tempo uma forma de pagamento, por isso, dizemos “salário”. Perceba que ambas as palavras possuem o mesmo radical ou a mesma raiz linguística. Isto é o que dizem, mas realmente desconheço a fonte desta informação.



O que quero dizer com toda esta história de comida? Você pode estar se perguntando. O que comida tem haver com dinheiro? E, mais, o que temperos tem haver com dinheiro?

Sei qual é o problema: falar em comida dá fome. Mas, calma eu vou chegar lá.

É simples, o dinheiro é o tempero (ou a ferramenta), digo mais, é o seu salário, ou seja, é algo que no momento precisa para atingir os seus objetivos. E deve saber que não ganha muito ou que não ganha o suficiente para atingir vários objetivos ao mesmo tempo.

Por isso, você tem... que...
Sabe o quê!?

Podemos imaginar o seguinte: você precisa de sal. O sal vem das minas de sal, o mar é uma mina de sal... Então você precisa mergulhar nesta mina de cabeça, no intuito de conseguir apenas o suficiente para atingir os objetivos, tentando não se afogar neste mar.

O mercado de trabalho é uma mina de ouro, prata e bronze. Mas, cuidado, pois devido a corrida do ouro muitos homens e mulheres nunca mais voltam para casa.

Recomendações:
Ouça a música "Oh Suzana"
Pesquise sobre a "Historia do Brasil" e "História de Minas Gerais"

Um comentário: