A Bíblia Sagrada no mundo

Você vai encontrar nesta postagem: o que é Bíblia Sagrada, quantos livros há na bíblia, qual a diferença entre a bíblia católica e a bíblia protestante (bíblia evangélica), quem escreveu a bíblia, quais as divisões que a bíblia possui, qual era a bíblia de Jesus e dos apóstolos, o que é velho testamento e novo testamento, e muito mais. Leia, deixe seu comentário e se gostar compartilhe nas redes sociais. Boa leitura!

Bíblia significa biblioteca ou coleção de livros sagrados. A bíblia traz a reunião das escrituras sagradas, textos antes escritos em documentos encontrados em algumas partes do mundo, guardados em vasos, em cavernas ou câmaras reservadas. A autoria dos escritos da Bíblia Sagrada é atribuída a cerca de 40 pessoas e estima-se que os textos foram escritos no espaço de tempo de 1.600 anos aproximadamente, tendo o seu último livro do antigo testamento escrito cerca de 700 anos antes do nascimento de Jesus.

Para se falar sobre a Bíblia, o livro mais vendido e mais difundido no mundo inteiro, não podemos deixar de informar que há duas grandes versões da Bíblia - a Católica e a Protestante, se diferenciando principalmente pela quantidade de livros.

A bíblia protestante, mais conhecida no Brasil como Bíblia Evangélica, é constituída por 66 livros, sendo 39 livros no Antigo testamento e 27 no Novo testamento. A diferença entre a bíblia católica e a bíblia protestante está no velho testamento, na qual a versão católica possui alguns textos extras adicionados a livros existentes e outros sete livros inteiros a mais do que no velho testamento da bíblia protestante, ou seja, na versão católica há 73 livros, sete a mais que na versão protestante, sendo estes sete livros conhecidos e considerados pelos protestantes como livros apócrifos.

Os sete livros apócrifos e os demais documentos que constam no cânone católico não fazem parte da bíblia evangélica exatamente por serem considerados apócrifos, ou seja, sem autoria reconhecida ou definida. Estes livros e textos têm a sua veracidade questionada pelos protestantes, visto que não se consegue verificar a verdadeira autoria deles por meio de fatores históricos. No entanto, há um motivo ainda mais agudo para estes livros não serem considerados sagrados, a sua inspiração é questionada, visto que os textos destes documentos conflituam com outros textos bíblicos e com princípios cristãos.

Uma das coisas mais fascinantes na Bíblia Sagrada é a unidade entre os textos, pois apesar de terem sido escritos por muitas mãos humanas, sem que estas pessoas tenham  ao menos se conhecido, ou mesmo tenham o conhecimento da existência dos demais textos, pois se encontravam em tempos e lugares dispersos e muitos dos documentos estiveram perdidos por dezenas e centenas de anos. E mesmo estes documentos sendo escritos por pessoas de vários tipos e de níveis intelectuais diversos, indo de pescador, sacerdotes e reis a estudiosos das escrituras, mas, todas as obras se completa, se complementa, se reforça mantendo a unidade e apontando para um único propósito divino.

As Escrituras Sagradas são textos considerados de dupla autoria, apesar de terem sido escritos por mãos humanas, sendo estes homens um dos autores da bíblia, há um outro autor, comum a todos estes homens, o autor principal, parceiro inseparável de todos os demais autores. Este co-autor, comum a todos os cerca de 40 autores, é o Espírito Santo. Os homens escreveram o texto, mas enquanto inspirados pelo Espírito Santo e este é o verdadeiro autor. E é por isso que os textos sagrados são também conhecidos como textos inspirados, pois foram escritos por homens mas por intermédio do Espírito Santo.

Daí surge a contestação aos livros apócrifos, pois se o autor principal é único, sendo este o Espírito santo, como que se justificaria as divergências contidas entre os livros e textos apócrifos e os textos do cânone bíblico? Será que o Espírito Santo mudou de ideia ou será que Deus pode se contradizer?

Há diversas traduções da Bíblia Sagrada no Brasil e outras centenas de traduções espalhadas no mundo todo. Sendo as traduções protestantes brasileiras mais conhecidas a de João Ferreira de Almeida, adotada em grande parte pelas igrejas Assembleia de Deus e diversas outras denominações; outra tradução em português bastante aceita é a Nova Versão Internacional adotada também por diversas igrejas ou denominações; ainda há a versão da Tradução do Novo Mundo das testemunhas de Jeová.

Existem centenas de traduções bíblicas espalhadas pelo mundo, mas como saber qual a versão ou tradução ideal ou correta. Primeiramente, devemos ter em mente o seguinte, tradução é tradução; e sempre haverá diferenças e erros nas traduções, não há tradução perfeita, por isso, se quer ler as escrituras na sua essência, com a menor variação possível tem que ler os textos originais escritos em hebraico, grego e aramaico; qualquer outra fonte já se trata de uma tradução, onde traz adaptações e erros de tradução. Mas, temos que admitir, são raras as pessoas que gozam do privilégio de ler os textos no original, tanto pela língua que não é qualquer pessoa que conhece, quanto pelo acesso a nestes textos originais. Então, só nos resta ler as traduções em português.

Para nos ajudar a pensar no assunto, trago uma mensagem do pastor Leandro quadros, também apresentador do programa Na mira da Verdade, exibido e apresentado na TV e Rádio Novo Tempo, ambos ligados a Igreja Adventista do Sétimo Dia. O professor Leandro Quadros dá uma belíssima explicação sobre as variações de versões da bíblia e fala também sobre as traduções. Este relato foi ao ar no programa, mas também está disponível no Youtube, vale dar uma olhada. Mas, enfim, o pastor sugere três traduções para quem quer estudar a bíblia por meio de traduções em Português, a saber "A Tradução Ecumênica da Bíblia (TEB)", da Igreja Católica, a tradução a "Nova Versão Internacional (NVI)" e a terceira indicação é a tradução "Bíblia de Jerusalém", também católica. Interessante perceber que das três indicações, duas são católicas, ou seja, mesmo havendo nas versões católicas a presença dos livros apógrifos, estas versões não deixam de ser excelentes fontes de pesquisa.

Veja o que o professor Leandro quadros diz de cada versão neste vídeo Indicações de traduções bíblicas.

Para facilitar o estudo das escrituras, é bom perceber que a Bíblia pode ser divida em dois grandes grupos de Livros: o "Novo e o Velho Testamento" ou como também é conhecido "Novo Antigo Testamento", estas nomenclaturas se refere ao marco mais importante na bíblia, nos remetem ao nascimento de Jesus, ou seja, velho ou antigo testamento são textos que antecedem ao nascimento de Jesus, atestam que Jesus virá; enquanto que o Novo testamento é posterior ao ministério de Jesus Cristo, nos quais afirmam que Jesus já veio e voltará. É importante ressaltar que os títulos velho e novo testamento nada tem haver com nova e velha alianças, como alguns acreditam. Se trata apenas de uma organização didática.

Outra forma de organização dos textos sagrados é a ordem como os encontramos atualmente organizados na Bíblia, pois a ordem atual não faz referência a data em que os textos foram escritos ou encontrados ou nem há relação com a data dos acontecimentos descritos, mas sim, a dez subgrupos com características semelhantes, cinco em cada testamento, pois os textos estão reunidos devido a presença de certas características comuns entre os textos, a saber:

No velho testamento os subgrupos são: Pentateuco com 5 livros, 13 livros históricos, 4 livros poéticos, 5 livros dos profetas maiores e 11 livros profetas menores; e no Novo testamento: biografias de Jesus, Atos dos apóstolos, epístolas dos apóstolos, cartas gerais e Apocalipse. Veja abaixo a relação de livros, bem como o grupo e subgrupo a qual cada um pertence.

No velho testamento (Escritos antes do nascimento de Jesus):

Pentateuco (Livro / sigla: quantidades de capítulos)
Gênesis (Gn): 50 capítulos
Êxodo (Ex): 40 capítulos
Levítico (Lv): 27 capítulos
Números (Nm): 36 capítulos
Deuteronômio (Dt): 34 capítulos

Livros Históricos
Josué (Js): 24 capítulos
Juízes (Jz): 21 capítulos
Rute (Rt): 04 capítulos
1º Livro de Samuel (1Sm): 31 capítulos
2º  Livro de Samuel (2Sm): 24 capítulos
1º Livro de Reis (1Rs): 22 capítulos
2º Livro de Reis (2Rs): 25 capítulos
1º Livro de Crônicas (1Cr): 29 capítulos
2º Livro de Crônicas (2Cr): 36 capítulos
Esdras (Ed): 10 capítulos
Neemias (Ne): 13 capítulos
Ester (Et): 10 capítulos
Jó (): 42 capítulos

Poéticos
Salmos (Sl): 150 capítulos
Provérbios (Pr): 31 capítulos
Eclesiastes (Ec): 12 capítulos
Cânticos (Cantares de Salomão) (Ct): 08 capítulos

Profetas maiores
Isaías (Is): 66 capítulos
Jeremias (Jr): 52 capítulos
Lamentações (Lm): 05 capítulos
Ezequiel (Ez): 48 capítulos
Daniel (Dn): 12 capítulos (na versão católica 14 capítulos)

Profetas menores
Oséias (Os): 14 capítulos
Joel (Jl): 03 capítulos
Amós (Am): 09 capítulos
Obadias (Ob): 01 capítulo
Jonas (Jn): 04 capítulos
Miqueias (Mq): 07 capítulos
Naum (Na): 03 capítulos
Habacuque (Hq): 03 capítulos
Sofonias (Sf): 03 capítulos
Ageu (Ag): 02 capítulos
Zacarias (Zc): 14 capítulos
Malaquias (Ml): 04 capítulos

Livros do novo testamento
(Escritos após a vinda de Jesus)

Biografias de Jesus, Os evangelhos
Mateus (Mt): 28 capítulos
Marcos (Mc): 16 capítulos
Lucas (Lc): 24 capítulos
João (Jo): 21 capítulos

Atos dos apóstolos 
Atos (At): 28 capítulos

As 14 Epístolas de Paulo
Romanos (Rm): 16 capítulos
Gálatas (Gl):  capítulos
1ª Carta aos Coríntios (1Co): 16 capítulos
2ª Carta aos Coríntios (2Co): 13 capítulos
Efésios (Ef): 06 capítulos
Filipenses (Fl): 04 capítulos
Colossenses (Cl): 04 capítulos
1ª Carta aos Tessalonicenses (1Ts): 05 capítulos
2ª Carta aos Tessalonicenses (2Ts): 03 capítulos
1ª Carta a Timóteo (1Tm): 06 capítulos
2ª Carta a Timóteo (2Tm): 04 capítulos
Tito (Tt): 03 capítulos
Filemon (Fm): 01 capítulo
Hebreus (Hb): 13 capítulos

Cartas gerais
Tiago (Tg): 05 capítulos
1ª Carta Pedro (1Pd): 05 capítulos
2ª Carta Pedro (2Pd): 03 capítulos
1ª Carta João (1Jo): 05 capítulos
2ª Carta João (2Jo): 01 capítulo
3ª Carta João (3Jo): 01 capítulo

Judas (Jd): 01 capítulo

Apocalipse 
Apocalipse (Ap) (O livro das profecias): 22 capítulos

Seguem abaixo os textos considerados apócrifos para os protestantes mas que constam na bíblia dos católicos. Se trata de sete livros e de alguns acréscimos a livros já existentes, todos do velho testamento:


Livros apócrifos

Giudite (Gi)

Tobias (Tb)
1 Macabeus (1Mc)
2 Macabeus (2Mc)
Sabedoria (Sb)
Eclesiástico (Eclo)
Baruc (Br)

Acréscimos apócrifos
Em Daniel: Oração de Azarias e História de Susana
Carta de Jeremia
Bel e o Dragão
Versão grega de Ester

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Entenda o LIPTE/LIATE (utilizado na Integração UDV)

Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos - ENCCEJA 2018